terça-feira, 30 de agosto de 2016

AUTOPSICOBIOGRAFIA

AUTOPSICOBIOGRAFIA

Minha poesia é simples como a chuva,
sem regra predeterminada,
ora fina, leve, delicada
ora grossa, bruta, ignara.
Pode até ser regular, distribuída,
mas à força dos ventos ou da ventura
de natureza tão misteriosa.

Minha palavra é simples, correntia
como a vida pobre do operário
que sempre fui.
Bocage segue ao lado de Agapito:
avô distante de vaga memória.
No mar revolto em perdido lenho,
levo comigo Camões e José Chacon:
meu pai, pedreiro inculto.
Além dessa vida difícil e dura
que mais tenho, que possa dizer?

Amor à vida e um pouco de leitura.

* O título foi inspirado no AUTOPSICOGRAFIA, famoso poema de Fernando Pessoa, que no primeiro verso diz que "O poeta é um fingidor".



Um comentário:

sergio chacon disse...

Não é porque é meu tio não... o cara é fera!