sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

BOCETA ENTÃO É ISSO?

           Quando ainda era criança, creio que pouco antes dos 7 anos, fui visitar o meu avô materno. E lá encontrei outros primos, filhos de fazendeiros, que foram passar as férias com nossos avós. E certo dia, com cara de safado, muito maroto, meu avô nos perguntou de repente, sem nenhuma aparente razão:
            - Eu tenho uma boceta! Querem ver?
De lá do fundo da cozinha, preparando o almoço, minha vó gritou:
            - Neco, para de dizer bobagem! Isso não é brincadeira de gente religiosa.
         Meu avô era um católico praticante, pertencia ao grupo do Santíssimo, mas adorava umas brincadeiras e piadas maliciosas, que desagradavam profundamente minha avó.
Fomos seguindo me avô, que nos fizera sinal para isso, e quando chegou ao quarto ele, fazendo suspense, enfiou a mão em um bolso de seu paletó e de lá retirou uma caixinha ovalada, feita de madeira com muita arte e requinte, abriu a tampa e de lá retirou um pó, rapé, que nos fez cheirar, fazendo com que todos espirrassem muito. Demos também muitas risadas. Por isso, amávamos meu avô. Sempre vinha com alguma brincadeira.
          Depois fiquei sabendo que aquele era mesmo o nome da caixinha, encontrei no dicionário a definição que é mais ou menso assim "caixinha de madeira arredondada, oblonga, oval, que serve para guardar pequenos objetos. Descobri ainda que muitas moças no passado gostavam da caixinha para guardar jóias menores como brincos e anéis. Provavelmente por causa do formato oval é que alguém passou a designar metaforicamente o sexo feminino, que guarda ali uma jóia, o chibiu, pequeno diamante, nome metafórico também, que designa o clitóris. Queria colocar uma imagem dessa caixinha aqui, mas foi só digitar no navegador e apareceu dezenas e dezenas de fotos de muito mau gosto, nenhuma era caixinha. Vai ficar sem imagem, a não ser que o caro leitor me envie alguma.

Em 2016 recebi de Matheus Hizioka essas imagens, algumas são das famosas bocetas de antigamente:

3 comentários:

Matheus Hizioka disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Matheus Hizioka disse...

Eu dei uma olhada na internet e achei essa foto das caixinhas http://goo.gl/4Tnlwq , só não garanto que seja igual a que viu.

Zilda Maria Sousa da Cunha disse...

rsrs Esse tema será sempre engraçado. Não compreendo como mantemos os tabus. más as flatulências,o sexo,os tombos...sempre nos serão motivos de rizo. Tolices imutáveis. Aprendendo. rsrsr